Fale Conosco
:: Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017
A A A







Valid XHTML 1.0 Strict  CSS válido!

Processos da Hidrosfera

A linha de P&D em Processos da Hidrosfera trata da solução dos inúmeros e complexos problemas gerados pela atividade humana sobre os ambientes aquáticos (marinho, costeiro e continental), buscando compreender seus processos de evolução no espaço e no tempo. Essa percepção resulta da constatação muito simples, de que tudo o que se observa hoje, no meio natural, deriva de um processo evolutivo em constante mudança. As iniciativas científicas voltadas ao estudo da Hidrosfera no INPE são orientadas para privilegiar a área de pesquisas sobre a previsibilidade do comportamento de variáveis ambientais e suas correlações com a produtividade sócio-econômica, as flutuações climáticas os recursos do mar, e os recursos hídricos.

São usados sensores imageadores como Landsat/TM, CBERS/CCD, SPOT e especialmente imageadores de alta repetitividade com menora resolução espacial (AVHRR, MODIS, SeaWiffs). De particular interesse são os sensores de radar projetados para aplicações oceanográficas como ERS-1/2, RADARSAT e ENVISAT. Sensores hiper-espectrais são também utilizados para aplicações costeiras e mapeamento de corais.

Equipe:

Douglas F. M. Gherardi
Evlyn Márcia Leão de Moraes Novo
João Antônio Lorenzetti
José Luiz Stech
Luciano Ponzi Pezzi
Milton Kampel

Nesta linha de P&D são desenvolvidos projetos, técnicas e métodos que se enquadram em três categorias com vários estudos em andamento:

  • Processos Oceânicos e Costeiros:

    Aqui são contempladas as atividades que tem por objetivo melhorar o conhecimento sobre os processos dominantes da dinâmica dos oceanos, da interação oceano-atmosfera e da interação da radiação eletromagnética com a superfície e a água do mar. São desenvolvidos modelos de previsão e algoritmos para a conversão dos dados coletados por sensores remotos em parâmetros geofísicos com boa precisão. É enfatizada a utilização sistemática de sensores remotos orbitais e sistemas derivantes e fundeados que transmitem os dados coletados via satélite. Campanhas oceanográficas são realizadas através de programas de cooperação com outras instituições de pesquisa, para a coleta de dados “in situ”. Uma meta de longo prazo é a assimilação de dados orbitais em modelos de previsão.


  • Ecossistemas Marinhos:

    O objetivo aqui é realizar e integrar estudos dos ambientes marinhos (costeiros e oceânicos) para estabelecer a sua evolução e, assim, projetar cenários futuros. Diagnósticos do estado atual dos ambientes marinhos, associados a investigações do seu estado pretérito, são realizados para avaliar com maior precisão, o impacto dos processos naturais e das atividades humanas sobre os ecossistemas. A integração das informações ambientais é feita utilizando técnicas de geoprocessamento. A validação das informações obtidas por satélite é ser feita com o auxílio de dados coletados “in situ” através de sistemas fundeados ou derivantes com transmissão via satélite e trabalhos de campo.


  • Monitoramento Ambiental dos Sistemas Aquáticos:

    Neste segmento contemplamos o estabelecimento de uma infra-estrutura operacional de monitoramento do meio ambiente aquático. A pesquisa suporta o estabelecimento de rotinas de extração de dados e informações sobre o meio ambiente aquático, os quais devem ser disponibilizados, sempre que possível, em tempo de tomada de decisão, para as instituições e empresas interessadas. Enfatiza-se sempre a aplicação de tecnologia de sensoriamento remoto e geoprocessamento na solução de questões de interesse da oceanografia e limnologia. Os estudos enfocam a ampliação do conhecimento sobre as interações entre os ecossistemas aquáticos e terrestres, e de como as atividades humanas interferem nos processos naturais. Contempla-se também a realização periódica de missões com aeronave e de trabalho de campo para a validação de dados orbitais.
Links Relacionados