A região amazônica comporta hoje um dos índices de biodiversidade mais elevados do planeta. Este ecossistema tem merecido destaque em fóruns internacionais, tendo-se em vista sua importância vital como regulador do equilíbrio climático global, dado seu elevado potencial de produção de oxigênio e filtragem de CO 2. A formulação de estratégias que possam garantir a manutenção da diversidade biológica amazônica é tema de extrema complexidade, particularmente se considerarmos que parte da biodiversidade Amazônica permanece por ser descrita. De fundamental importância neste processo é o entendimento de que a distribuição das espécies atuais reflete apenas um momento dentro de uma tendência geral de mudanças contínuas no padrão de distribuição e associação de taxas. Portanto, a análise do ecossistema amazônico levando-se em consideração o relacionamento entre a biota e
 
 
os ambientes físicos dentro de um contexto temporal é fundamental para se discutir a origem de sua biodiversidade, bem como entender os fatores controladores e/ou influenciadores de sua distribuição atual. É indiscutível que a perduração da biodiversidade atual depende de estratégias de conservação que garantam a preservação de áreas onde as espécies possam sobreviver a mudanças ambientais futuras. Com isto, torna-se fundamental a realização de estudos visando-se o entendimento da influência de parâmetros abióticos nos padrões de distribuição dos organismos, tarefa de difícil abordagem e que exige esforço integrado combinando informações de diferentes disciplinas. Este tipo de enfoque integrado torna-se estratégico para o estabelecimento de planos de ação que garantam a manutenção das espécies nesta e em outras regiões com ameaças de extinção.
 
  VIGÊNCIA DO PROJETO: 2005 a 2008  
   
 
   
 

:. Projeto Marajó - INPE/OBT/DSR - Todos os direitos reservados 2005 - 2009 .:

Webmaster: Jefferson - jsousa@dsr.inpe.br